Scarlatti, Haydn, Mozart | Solistas da Metropolitana 11 mars 2017 21:00-11 mars 2017 23:00, Festival .

SCARLATTI, HAYDN, MOZART | Solistas da Metropolitana

11 de março, 21h00
Museu Nacional de Arte Antiga – Sala de Conferências

A. Scarlatti – Sonata a Quattro N.º 4 em Ré Menor
J. Haydn – Quarteto de Cordas em Ré Menor, Hob III:76, Op. 76/2, Quintas
A. Scarlatti – Sonata a Quattro N.º 3 em Sol Menor
W. A. Mozart – Quarteto de Cordas N.º 14 em Sol Maior (A Haydn), KV 387, Primavera

Solistas: Carlos Damas, Elena Komissarova (violinos), Andrei Ratnikov (viola), Jian Hong (violoncelo)

Composta por dois violinos, uma viola-d’arco e um violoncelo, o Quarteto de Cordas é a mais clássica de todas as formações instrumentais. Distingue-se por confiar igual importância a qualquer das «vozes», frustrando as expectativas de confronto características do estilo barroco. As palavras de ordem passaram então a ser o diálogo e a clareza do discurso, sendo Joseph Haydn usualmente lembrado como fundador do género. Com efeito, Haydn escreveu sessenta e oito quartetos e foi o seu grande impulsionador. Mas porque em Música nada surge do nada, os Solistas da Metropolitana revelam-nos neste programa dois precedentes. Precisamente com origem no período barroco, as «Sonate a Quattro» «senza cembalo» de Alessandro Scarlatti (1660-1725), pai do bem nosso conhecido Domenico Scarlatti, são por alguns consideradas como os primeiros quartetos de cordas existentes.

Explicitando a ausência do cravo, o músico italiano dispensou o tradicional baixo contínuo e encetou novos caminhos, onde se cruzariam exemplos tão lapidares como o Quarteto Primavera de Mozart, dedicado a Haydn em 1782, ou o segundo dos Op. 76, deste último, que tem início com uma invulgar série de intervalos de quinta.