Chargement Évènements

Le Bourgeois Gentilhomme | Orquestra Metropolitana de Lisboa

Metropolitana

Le Bourgeois Gentilhomme | Orquestra Metropolitana de Lisboa 4 février 2017 21:00 Festival

LE BOURGEOIS GENTILHOMME
Orquestra Metropolitana de Lisboa

4 de fevereiro, 21h00, Teatro Thalia | Temporada Clássica

J.-B. Lully – Le bourgeois gentilhomme, LWV 43 (excertos)
P. Amaral – Paraphrase
R. Strauss – Le bourgeois gentilhomme, Op. 60, TrV 228c

A citação é um recurso literário bem conhecido de todos. Quando reinterpretada, transforma-se em algo substancialmente novo, torna-se paráfrase. Pois também na música é possível aplicar tais conceitos. É precisamente em torno das suas ambiguidades que o maestro Pedro Neves dirigirá este programa. Inicia com excertos musicais da comédie-ballet Le bourgeois gentilhomme, música de Jean-Batiste Lully para o espetáculo que a trupe de Molière apresentou à frente da corte do rei Luís XIV em 1670, e que a dado instante, em registo de sátira, reproduz grotescamente uma marcha turca que troçava de um episódio relacionado com um embaixador daquele país. Duzentos e cinquenta anos mais tarde, Richard Strauss abordou esse mesmo enredo em que um burguês quer tornar-se fidalgo, e terminou com uma suíte orquestral pontuada por excertos de música de Lully, mas também de Wagner, e até de Verdi. Pelo meio, ouve-se Paraphrase, uma obra estreada em 2006 pela Sinfonietta de Londres em que Pedro Amaral parafraseia uma outra obra da sua própria autoria, Densités, de 2005.

LE BOURGEOIS GENTILHOMME
Orquestra Metropolitana de Lisboa

4 de fevereiro, 21h00, Teatro Thalia | Temporada Clássica

J.-B. Lully – Le bourgeois gentilhomme, LWV 43 (excertos)
P. Amaral – Paraphrase
R. Strauss – Le bourgeois gentilhomme, Op. 60, TrV 228c

A citação é um recurso literário bem conhecido de todos. Quando reinterpretada, transforma-se em algo substancialmente novo, torna-se paráfrase. Pois também na música é possível aplicar tais conceitos. É precisamente em torno das suas ambiguidades que o maestro Pedro Neves dirigirá este programa. Inicia com excertos musicais da comédie-ballet Le bourgeois gentilhomme, música de Jean-Batiste Lully para o espetáculo que a trupe de Molière apresentou à frente da corte do rei Luís XIV em 1670, e que a dado instante, em registo de sátira, reproduz grotescamente uma marcha turca que troçava de um episódio relacionado com um embaixador daquele país. Duzentos e cinquenta anos mais tarde, Richard Strauss abordou esse mesmo enredo em que um burguês quer tornar-se fidalgo, e terminou com uma suíte orquestral pontuada por excertos de música de Lully, mas também de Wagner, e até de Verdi. Pelo meio, ouve-se Paraphrase, uma obra estreada em 2006 pela Sinfonietta de Londres em que Pedro Amaral parafraseia uma outra obra da sua própria autoria, Densités, de 2005.

Détails

Date :
4 février 2017
Heure :
21:00 - 23:00
Catégorie d’Évènement: