Amores Impossíveis: Carvalho, Sibelius, Stravinsky

Metropolitana

Amores Impossíveis: Carvalho, Sibelius, Stravinsky, 6 mai 2017 21:00, Teatro Thalia

AMORES IMPOSSÍVEIS: CARVALHO, SIBELIUS, STRAVINSKY
Orquestra Metropolitana de Lisboa

6 de maio, 21h00, Teatro Thalia | Temporada Clássica

L. Carvalho – Nise Lacrimosa
J. Sibelius – Pelléas et Mélisande (Suíte), Op. 46
I. Stravinsky – Orpheus

Maestro: Luís Carvalho

Pedro e Inês, Pelléas e Mélisande, Orfeu e Eurídice… Histórias de amores proibidos que contam o drama de quem, na impossibilidade de viver sem «o outro», entrega-se na comunhão da morte. São narrativas reais ou ficcionadas que incendeiam a imaginação da Humanidade desde sempre. Este programa espreita por essa frondosa janela e dá de caras com três obras musicais plenas de fantasia e densidade dramática. O maestro Luís Carvalho começa por interpretar uma obra da sua autoria. Nise Lacrimosa faz uma leitura do romance «puro» e «lamentoso» que uniu na eternidade Dom Pedro I e Inês de Castro. Contornando a célebre narrativa, são doze minutos de música em que a orquestra recria subjetivamente as emoções dos protagonistas. Por sua vez, à semelhança de Fauré, Debussy e Schönberg, Jean Sibelius também compôs para o texto simbolista de Maeterlinck «Pelléas et Mélisande». Por entre as águas sem vida do Reino de Allemonde, fez soar a música que se ouve na Suíte Op. 46. Por fim, Stravinsky deu azo à sua veia lírica no bailado Orpheus, que Balanchine levou à cena em 1948 a dois quarteirões de distância da Broadway de Nova Iorque.

Amores Impossíveis: Carvalho, Sibelius, Stravinsky was last modified: août 12th, 2016 by Rennes
@Metropolitana Lisbon